segunda-feira, 12 de abril de 2010

Ao Trabalho
A educação para a capacitação profissional deve começar cedo.

Trabalhar é mais do que executar uma tarefa remunerada. É também atuar no mundo de forma produtiva, estabelecer relações sociais e alcançar satisfação. Por isso, a atividade profissional deve ser um dos objetivos de vida também do portador de condições especiais. Mas a capacitação para o trabalho não se dá por passe de mágica, na juventude, observam os especialistas. É o resultado de um processo que deve começar na infância e depende muito do estímulo à autonomia e da forma de encarar os talentos e as limitações da criança.

SENAI

Um comentário:

  1. Oi pessoal !
    Para mais informações acesse o site do SENAI:
    Portadores de deficiências, jovens em situação de risco social, trabalhadores excluídos da vida produtiva, indígenas e presidiários são alguns dos grupos atendidos nas ações de capacitação profissional do SENAI-RS. Os programas sociais desenvolvidos pela instituição têm abrangência regional e proporcionam aos indivíduos excluídos da vida econômica e social a oportunidade de ingressar ou reingressar na vida produtiva, resgatando sua cidadania e dignidade.

    Abraços
    Marilce Giglio

    ResponderExcluir