segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

ONG Caminhadores


Com cadeiras especias, cadeirantes aproveitam o mar de Tramandaí
Ação também será promovido neste domingo ao lado da guarita 145.

Tramandaí - A sensação de liberdade proporcionada por um banho de mar pôde ser sentida por 20 cadeirantes da Associação dos Lesados Medulares (Leme) do Estado na manhã de ontem, em Tramandaí. Após perceberem que a praia não era um local comum de lazer para deficientes, o Sesi e a ONG Caminhadores, de Porto Alegre, montaram o programa Lazer Inclusivo. Por meio de uma cadeira especial, Vítor Damian, 40 anos, de Novo Hamburgo, sentiu novamente as ondas do mar. Cadeirante desde 2003, após sofrer uma lesão na coluna, ele não entrava no mar há seis anos. "Indescritível a sensação. É muito bom sair de casa, ver a praia cheia", conta. Um dos maiores objetivos do projeto, além de levar alegria aos deficientes, é mostrar às administrações públicas que ainda falta muito para que a praias sejam locais com acessibilidade. "Todos têm o direito de ir e vir. Iniciativas assim fazem com que as pessoas se acostumemcom a presença do deficiente e incentivam o convívio social ", afirma Maurício Fleck, secretário da Leme do RS. O banho de mar assistido também será promovido hoje, a partir das 9 horas, ao lado da guarita 145.

Cadeira anfíbia aprovada
O banho de mar só foi possível graças à cadeira anfíbia, projetada para que cadeirantes entrem na água com mais facilidade e não afundem, pois o equipamento flutua. Com as rodas maiores fica mais fácil movê-la pela areia.
A maioria dos cadeirantes conta que costumava usar as cadeiras de rodas comuns ou cadeiras de praia para entrar no mar, mas logo elas se enterravam na areia e ficava perigoso. "Foi muito mais fácil assim", conta João Luiz Antônio de Oliveira, 43 anos, que teve paralisia infantil aos 4 anos. Ele gostou da novidade. "Era algo que só víamos na televisão", revela.

Um comentário: