sexta-feira, 29 de julho de 2011

Síndrome de Kawasaki



Síndrome de Kawasaki


A síndrome de Kawasaki ficou mundialmente conhecida no ano de 2009, quando o filho do ator John Travolta caiu no banheiro, feriu a cabeça e acabou morrendo. Em entrevista, o ator afirmou que seu filho sofria da síndrome de Kawasaki, mas não foi a causa da morte.
Essa síndrome é um tipo de vasculite sistêmica aguda, ou seja, inflamação repentina das paredes das artérias do corpo da criança. É rara e acomete mais as crianças menores de cinco anos (80% dos casos), asiáticas (90 casos por 100 mil habitantes contra 10 casos por 100 mil entre não-asiáticos) e do sexo masculino (a incidência é duas vezes maior). Não há uma causa conhecida, mas acredita-se que seja por fatores infecciosos e alguma predisposição genética.
O diagnóstico pode ser difícil no começo, mas muito importante.


Há três fases de sintomas.

A primeira começa com febre alta (em torno de 40°C) por mais de cinco dias, podendo chegar a duas semanas, vermelhidão do tronco e da região genital, os dois olhos vermelhos e inchados, mas sem secreção, lábios rachados e língua inchada e vermelha como um morango. Dor de garganta e aparecimento de ínguas ou gânglios inflamados, principalmente na região do pescoço, podem ocorrer nessa primeira fase da doença.
A segunda fase é marcada por descamação dos pés e das mãos, dores nas juntas, diarréia, dor abdominal e vômitos e pode durar até duas semanas.

Já na terceira, os sintomas regridem lentamente até a recuperação quando há o tratamento.
A maior complicação que pode acontecer na Síndrome de Kawasaki é quando há o comprometimento do coração, como aneurismas nas artérias coronárias, inflamação do músculo (miocardite) ou da membrana que recobre o coração (pericardite). Aneurismas são perigosos por facilitarem a estase de sangue e a obstrução da artéria, causando o infarto (morte de tecido do músculo cardíaco por falta de oxigênio).
Em média, apenas duas em cada 100 crianças com a doença de Kawasaki desenvolvem aneurismas e problemas cardíacos.
Nem todas as crianças apresentarão todos os sintomas citados. Muitas podem ter manifestação incompleta da doença. Não existem testes laboratoriais específicos para o diagnóstico, que é clínico levando em conta os sinais e sintomas da doença. Exames de urina, sangue e coração podem complementar o exame clínico.
O tratamento consiste em diminuir a inflamação e prevenir maiores complicações. É indicado o uso de ácido acetilsalicílico para a redução da inflamação. Esse ácido também funciona na administração na veia de uma substância chamada gamaglobulina, que é um derivado do sangue que reduz a dilatação dos vasos do coração, fazendo regredir aneurismas de pequeno e médio diâmetros. Depois, ainda é preciso investigar se houve complicações cardíacas.
Quando a síndrome se resolver, exames periódicos devem ser realizados para acompanhamento da criança. É importante a realização de exames de sangue, como o hemograma e a velocidade de hemossedimentação (VHS), até que voltem ao normal.
Caso a criança permaneça com aneurismas, deve-se fazer um controle com exames cardiológicos de tempos em tempos, na indicação do seu médico. O médico também pode afastar a crianças de determinadas atividades físicas para evitar que se machuque e sua vida corra risco em virtude dos remédios que toma, evitando riscos de formação de coágulos no sangue.


Lembre-se, mamãe, de que o diagnóstico precoce e a adesão ao tratamento são fundamentais para evitar as complicações da doença.



4 comentários:

  1. oi eu sou a josiane minha filha tem esta doença eu estou com muito medo nao sei o que fazer ela se trata em porto alegre mo hospital de clinica. pois ela tem problema de coraçao nao sei o que fazer. eu preciso de ajuda eu nao sei o que fazer.n; 51 92072071

    ResponderExcluir
  2. Querida Josiane,

    Imagino o seu sofrimento e infelizmente não tenho muita informação a respeito desta síndrome, porém sabemos que a tua filhinha está em um dos melhores hospitais de POA e acredito que estarão fazendo o melhor por ela. Verifiquei o endereço de um cardiologista bem conceituado de POA, segue o contato, pois seria interessante buscar, se possível, mais informações com profissionais da área:
    DR. FLAVIO JOSE PETERSEN VELHO
    Cidade: PORTO ALEGRE
    Especialidade: CARDIOLOGIA
    Área de Atuação: CARDIOLOGIA PEDIATRICA/SIND. KAWASAKI
    Endereço: AV IPIRANGA, 6690 - 515
    Bairro: JARDIM BOTANICO
    Telefone(s): 51 33363934

    E...jamais perca a confiança no Papai de Céu, pois ele está sempre ao nosso lado, apesar de muitas vezes não entendermos isso.

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada querida amiga, pois este contato vai ser muito importante para nós, vamos atras dele sem duvida.
    bjuss, josiane

    ResponderExcluir
  4. oi meu filho teve esta sindrome de Kawasaki aos 5 anos de idade logo no inicio que foi descoberta esta doença e só tinha 15 casos na época era o ano de 1995 levei ele ao pediatra dele Dra Sonia no posto de saúde ,por uma dor de garanta e pelo periodo de 03 dias surgiram varias doenças ele foi encaminhado ao Hospital de Clinicas de Porto Alegre o médico dele estava num congresso em São Paulo era o dr Flavio Velho ótimo médico meu filho ficou com a sequela das vias coronarias dilatadas ,por ele ter bronquite não podia tomar ASS acido acetil salicilico ele tomava o remedio persantim pela metade duas vezes ao dia por 03 anos as vias coronarias voltaram ao tamanho normal
    hoje ele tem 21 anos
    o dr Flavio Velho era o médico mais experiente nesta doença na epoca .
    mamaes que tem seus filhos com esta sindrome podem confiar tem cura beijos e muita fé Talita
    Porto Alegre RS.
    fone 51 84770553

    ResponderExcluir