terça-feira, 12 de março de 2013

Equoterapia e a Síndrome de Down

Olá amigos !

Conforme informado anteriormente, todo mês teremos postagens a respeito da EQUOTERAPIA, sendo assim, segue abaixo a matéria de março.

Outra novidade neste ano... 
Em breve teremos também a contribuição referente a FONOAUDIOLOGIA com a mais nova parceira e amiga do Blog...a Dra. Léia Gurgel que, assim como a fisioterapeuta Jerusa S Wolmann, está fazendo um ótimo trabalho com o Rodrigão.

Mande também sua contribuição pelo e-mail: marilcegiglio@hotmail.com

Grande abraço
Marilce Giglio


Equoterapia e os benefícios para as pessoas com Síndrome de Down

A Equoterapia é reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina, trata-se de uma terapia destinada a crianças e adultos com deficiência, sejam elas físicas, intelectuais ou mentais, onde o cavalo age como meio facilitador de modo cinesioterapêutico, sendo os movimentos do andar do cavalo (andadura) que proporciona a reabilitação, ganho de força muscular, equilíbrio, melhora na postura, coordenação motora, confiança, autoestima, entre outros. É o chamado movimento tridimensional, onde ocorrem movimentos latero-laterais, ântero-posteriores e cefalo-caudal. O cavalo realiza movimentos de rotações para dissociação de cinturas escapular e pélvica, inclinações de tronco para transferência de peso. Essas oscilações ocorrem no mesmo plano que do ser humano e são interpretados pelos canais semicirculares do aparelho vestibular como movimentos fisiológicos

A Equoterapia vem crescendo nos últimos anos, atua com uma equipe multidisciplinar, onde o fisioterapeuta possui papel importante junto ao tratamento, estudos realizados na área tem se mostrado satisfatórios em portadores de síndromes neurológicas, principalmente no que diz respeito à reabilitação de crianças e adultos com deficiência, como Síndrome de Down.

Existem varias pesquisas no que diz respeito ao movimento do dorso do cavalo e as suas consequências do que diz respeito ao seu praticante/cavaleiro. Uma destas consequências é o ajuste tônico, pois o cavalo é um animal que nunca está totalmente parado, ocorre troca de patas, movimentos do pescoço, o abanar da cola, com isso, impõem ao praticante/cavaleiro um ajuste em todo seu comportamento muscular e postural, a fim de responder ao desequilíbrio provocado por esses movimentos. Esse ajuste tônico ritmado, ocasionado pelo passo do cavalo, proporciona mobilização ósteo-articulares que facilitam um grande número de informações proprioceptivas, exigindo do praticante/cavaleiro contração e relaxamento simultâneos dos músculos agonistas e antagonistas.

Os principais benefícios da Equoterapia são: melhora do equilíbrio e postura; desenvolve a modulação tônica e estimula a força muscular; desenvolve a coordenação de movimentos entre o tronco, marcha, membros e visão; promove a organização e a consciência corporal; estimula a sensibilidade tátil, auditiva, visual e olfativa; oferece sensação de ritmo; desenvolve a coordenação motora ampla e fina; aumento da autoestima, facilitando a integração social; em consequência estes têm um melhor desempenho e qualidade de vida.

O tratamento de Equoterapia para crianças com Síndrome de Down vem crescendo e apresentando efeitos benéficos, principalmente no que diz respeito ao desenvolvimento das variáveis psicomotoras (equilíbrio estático e dinâmico, coordenação motora ampla e fina, lateralidade, orientação temporal e espacial e esquema corporal).

A criança com Síndrome de Down passa pelas fases da evolução motora, porém essa evolução ocorre de forma mais lenta, pois, desde os primeiros dias de vida a criança apresenta hipotonia global. Para vencer todas as dificuldades impostas pela hipotonia, é preciso que se trabalhe com elas, propiciando à criança liberdade de movimentos e estímulos, com isso, auxiliará muito o fortalecimento da musculatura e consequentemente avanços no desenvolvimento motor como um todo.

Obrigada pela atenção pessoal!

Abraço à todos!

Fisioterapeuta: Jerusa S Wolmann (tel. 51-85750496)



Nenhum comentário:

Postar um comentário