sexta-feira, 12 de abril de 2013

Equoterapia e a Paralisia Cerebral

Olá amigos do Blog,

Vamos falar hoje sobre a Paralisia Cerebral, também conhecida como encefalopatia crônica não progressiva. Refere-se a várias condições de saúde não completamente curáveis que atingem uma ou mais regiões cerebrais e, por extensão, os movimentos corporais e o complexo muscular, desencadeadas pela carência de oxigênio das células do cérebro.
É fundamental para o bem-estar do paciente que se descarte qualquer preconceito em relação ao seu desempenho cognitivo, pois sabe-se hoje que ele tem um desenvolvimento intelectual dentro dos parâmetros da normalidade, a menos que os campos cerebrais atingidos sejam aqueles aos quais se atribuem as funções do pensamento e da memória.

A terapêutica é sempre interdisciplinar, pois para sua maior eficiência devem unir-se os esforços de médicos, psicólogos e fisioterapeutas.

 
Sendo assim, trazemos hoje mais uma matéria da Fisioterapeuta Jerusa Wolmann.

Abraços e até a próxima.
Marilce Giglio



Equoterapia e a Paralisia Cerebral

A Equoterapia é um método terapêutico, que utiliza o cavalo na reabilitação de pacientes com paralisia cerebral para adequar o tônus muscular, melhorar a postura, e melhorar a realização do automatismo de controle postural e de movimento. Esta terapia possibilita movimentos rítmicos, precisos e tridimensionais com cavalos equiparando-os à ação da pelve humana no ato de andar, permitindo que o paciente da Equoterapia receba a todo instante estímulos sensoriais, sendo facilitadas pelo contato direto do movimento do cavalo com seu corpo.

A Equoterapia no tratamento a pacientes com disfunção motora ou Paralisia Cerebral (PC), pode contribuir imensamente levando-se em conta que a lesão em si não é progressiva, na interação mediada pelo terapeuta, a criança e o cavalo.
Nesta lógica, dentre outros benefícios que Equoterapia proporciona, estão: melhora relacional, psicomotora, sua natureza técnica na aprendizagem e a sociabilidade. Assim, esta melhora psicomotora, está vinculada aos aspectos do tônus, da mobilidade das articulações da coluna e do quadril, do equilíbrio e da postura do tronco ereto, da obtenção da lateralidade, da percepção, esquema corporal, da coordenação e dissociação de movimentos, da precisão de gestos e integração do gesto para compreensão de uma ordem recebida ou por imitação, com a qual, Medeiros e Dias (2002) afirmam que a postura do paciente é melhorada através reações equilibradas devido à função motora dos movimentos atribuídos pelo estímulo que o cavalo propicia, ajustando os membros superiores, cintura escapular dando estabilidade, frequência e alinhamento, uma sincronia na função e execução dos movimentos definidos.

A equoterapia é um estimulador do processo de melhoria motriz, firmeza do tronco e tônus muscular dos pacientes. Proporciona muitas conquistas para as pessoas com Paralisia Cerebral, considerando que é um processo gradativo e holístico, haja vista que o paciente se relaciona com todos os agentes envolvidos, terapeuta, cavalo, sessões e ambientes. Os desafios são constantes e coletivos.

A regularidade de consultas e sessões terapêuticas pode manter as funções orgânicas da pessoas com PC, tanto relativos à prevenção quanto a manutenção segura assistida.


Fisioterapeuta Jerusa S Wolmann
Telefone: 51- 85750496

Nenhum comentário:

Postar um comentário