quarta-feira, 26 de outubro de 2011

SHOW BENEFICENTE




SHOW BENEFICENTE
07 DE NOVEMBRO ÀS 20H NO TEATRO DO SESI



Vendas de Ingressos nas Lojas MULTISOM

CEREPAL - CENTRO DE REABILITAÇÃO DE PORTO ALEGRE


O Centro de Reabilitação de Porto Alegre - CEREPAL - é uma associação de pais, que nasceu da percepção da necessidade de um local para que crianças com lesão cerebral pudessem receber atendimento especializado. Assim, em 02 de março de 1964 foi fundada, por 15 famílias, uma associação de direito privado, de caráter assistencial e beneficente.

http://www.cerepal.org.br/


segunda-feira, 17 de outubro de 2011

"Síndrome de Kawasaki"

RECADO IMPORTANTE !!
A TALITA DEIXOU ESTE RECADO SOBRE O ASSUNTO E FONE DE CONTATO.


Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Síndrome de Kawasaki":

oi meu filho teve esta sindrome de Kawasaki aos 5 anos de idade logo no inicio que foi descoberta esta doença e só tinha 15 casos na época era o ano de 1995 levei ele ao pediatra dele Dra Sonia no posto de saúde ,por uma dor de garanta e pelo periodo de 03 dias surgiram varias doenças ele foi encaminhado ao Hospital de Clinicas de Porto Alegre o médico dele estava num congresso em São Paulo era o dr Flavio Velho ótimo médico meu filho ficou com a sequela das vias coronarias dilatadas ,por ele ter bronquite não podia tomar ASS acido acetil salicilico ele tomava o remedio persantim pela metade duas vezes ao dia por 03 anos as vias coronarias voltaram ao tamanho normal hoje ele tem 21 anos o dr Flavio Velho era o médico mais experiente nesta doença na epoca .
Mamaes que tem seus filhos com esta sindrome podem confiar tem cura beijos e muita fé.


Talita
Porto Alegre RS.
fone 51 84770553

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Dia das Crianças para refletir...





Doze de outubro: Dia das Crianças
O brincar é ingrediente fundamental na infância tanto para o desenvolvimento físico e intelectual, quanto para a saúde mental da criança por meio da socialização e da interação com o outro.


Além de ser uma fonte de prazer e socialização, o brinquedo pode ser uma poderosa fonte de descoberta do mundo, não só para compreendê-lo fisicamente, mas também culturalmente. As brincadeiras dizem muito sobre as regras que legislam a convivência entre as pessoas, seus costumes e trocas atribuindo-lhes um pertencimento a determinada cultura.
Para toda e qualquer criança o brinquedo é fundamental.

Mas quero falar sobre a criança cega: Para a criança cega ele assume uma característica a mais, que é a possibilidade de descobrir como são os objetos.
Porém, os brinquedos que hoje são fabricados levam em conta mais os atributos visuais do que os táteis, sons e cheiros, que estariam mais adequados às necessidades da criança com deficiência visual. Uma das razões disto acontecer é que culturalmente não temos por hábito pensar a questão da diferença, seja ela racial, religiosa, ou de qualquer outra natureza, na hora de fabricar nossos produtos.
Portanto, isto não deixa de ser um reflexo do quanto ainda falta para nossa sociedade esta reflexão. Muitas vezes, estes segmentos não são vistos como públicos consumidores, quando na realidade o são, já que as pessoas com deficiência, por exemplo, perfazem aproximadamente 15% da população, sendo um percentual significativo. Da mesma forma, isto se reflete no mercado editorial: os livros infantis publicados em braile são extremamente escassos. E livrinhos com ilustrações em relevo, por exemplo, praticamente inexistem.

Veja onde adquirir brinquedos educativos e especiais para crianças com deficiência:

Brinquedos Laramara
A loja "Brincanto", da Laramara, tem à venda brinquedos que estimulam as funções táctil e auditiva, além de jogos educativos que auxiliam no aprendizado do braile. Os preços variam de R$ 2,50 (pulseirinha com guizo) a R$ 150,00 (colméia alfabética).
Endereço: Rua Conselheiro Brotero, 353 -
Barra Funda - São Paulo/SP.
Tel.: (11)3660-6400.


LM Criações e Adaptações para Deficientes Físicos
A empresa carioca produz triciclos, carrinhos e bicicletas para crianças com deficiência física ou paralisia cerebral. O "Jet Car", para locomoção de crianças de até 5 anos, custa R$ 350,00. Os produtos podem ser visualizados por meio do site: http://www.lmrio.com.br. A LM Criações aceita encomendas de todo o Brasil.
Endereço: Bv. 28 de Setembro 146
Vila Isabel - Rio de Janeiro/RJ.
Tel.: (21) 2234-1351.


Puchalski Brinquedos Criativos - PBC
A PBC produz brinquedos que estimulam as funções cognitivas da criança que tem dificuldade em aprender. O catálogo de produtos da empresa pode ser visualizado pelo site: http://www.msb.br/pbc/pincipal.htm.
Contato pelo telefone: (21) 2413-5727.


Bengala Branca
A empresa situada no Rio Grande do Sul produz jogos pedagógicos para o ensino do alfabeto braile, mapas em quebra-cabeça, relógios, dominós, baralhos, entre outros. Os preços dos jogos variam de R$ 12,90 (jogo da velha em madeira) a R$ 29,00 (dominó em textura). Venda e informações pelo site: http://www.bengalabranca.com.br.
Endereço: Rua Cel. Vicente, 608
Porto Alegre/RS
Tel: (51) 3212-4777 ou 3212-5053.

FONTE: Rede SACI


A um passo da prótese inteligente
Cientista faz macaca sentir texturas por meio de um braço virtual movido pelo pensamento e abre caminho para construir equipamentos acionados por impulsos mentais, para dar mobilidade aos tetraplégicos

Por 22 anos, o cientista brasileiro Miguel Nicolelis, diretor do laboratório de Neuroengenharia da Duke University, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, dedicou-se a achar um meio de fazer o cérebro e as máquinas trocar informações em tempo real. Em 2008, ele marcou seu primeiro gol mostrando ao mundo que era possível mover um robô apenas com a força do pensamento. Na época, apresentou um sistema capaz de transformar os impulsos elétricos emitidos pelo cérebro de uma fêmea do macaco rhesus em comandos digitais. Enviados pela internet ao Japão, os sinais fizeram um robô andar.
Na semana passada, Nicolelis e sua equipe da Duke University surpreenderam novamente ao anunciar que conseguiram fazer as máquinas conversar diretamente com algumas áreas do cérebro. Desta vez, outra fêmea do macaco rhesus moveu um braço virtual com a força do pensamento para selecionar figuras na tela de um computador. Usou para isso o mesmo sistema testado em 2008. Mas a experiência foi além: o animal não só selecionou os objetos na tela como foi capaz de sentir, no cérebro, a diferença entre eles (leia quadro). Apesar de idênticas na forma, cada figura emitia um sinal elétrico diferente, que indicava sua textura. No cérebro, essses estímulos foram interpretados como sensações táteis com a ajuda de um microchip implantado com essa função. "Foi a primeira vez que se estabeleceu uma comunicação bilateral entre o cérebro e uma máquina", disse Nicolelis à ISTOÉ. "Com isso, criamos um novo sentido, o tato virtual", celebrou. O trabalho foi publicado na última edição online da revista científica britânica "Nature".
O propósito de Nicolelis, que está à frente de uma iniciativa internacional chamada Walk Again (andar de novo), é aplicar a nova tecnologia para construir uma geração de próteses inteligentes, acionadas diretamente pelo pensamento, sem que os estímulos passem por outras partes do corpo. Assim, ele pretende devolver a mobilidade a pessoas tetraplégicas. Nesses casos, como as estruturas nervosas estão lesadas, as instruções dadas pelo cérebro para a realização de movimentos não chegam aos membros.
Os achados do estudo conduzido na universidade americana estão sendo recebidos como avanço importante pela comunidade científica. Atualmente, muitos laboratórios procuram decifrar as mensagens motoras do cérebro para controlar cursores e membros robóticos, enquanto outros estudam como usar a estimulação elétrica dos tecidos para levar informações à mente. "O trabalho de Nicolelis combina, pela primeira vez, esses dois desafios da neuroengenharia. É um marco no estudo da interação cérebro-máquina", disse à ISTOÉ Sliman Bensmaia, neurocientista da Universidade de Chicago que estuda os sinais cerebrais. "O próximo passo é desenvolver mecanismos mais sofisticados para esse feedback sensorial", afirma o pesquisador.
Uma das possíveis aplicações dessas descobertas recentes será no aprimoramento de algumas próteses que utilizam sinais dos músculos para realizar movimentos de braços, por exemplo. A esperança é esses estudos permitam intensificar a transmissão de dados e melhorar a eficiência dos aparelhos. Em relação ao futuro, seu impacto pode ser ainda mais extenso. "Conseguimos a liberação mais completa do cérebro que se pode imaginar. O órgão exerceu a capacidade perceptual sem precisar do corpo", diz Nicolelis, que vislumbra diversos cenários nos quais a tecnologia interativa poderá ser empregada. Entre eles, o cientista cita o controle de instrumentos cirúrgicos inseridos no corpo e a opção de movimentar com o pensamento guindastes no fundo do mar ou robôs em áreas de risco.
Por enquanto, não há data marcada para o início dos testes com protótipos desses equipamentos inteligentes em seres humanos. Mas Nicolelis pretende que o pontapé inicial da Copa de 2014 seja dado por jovens paraplégicos usando as suas vestes robóticas comandadas pelo pensamento. Já disse isso em palestras. Também avisou que fará as simulações com seres humanos em Natal, no Rio Grande do Norte, onde instalou o Instituto Internacional de Neurociência de Natal Edmond e Lily Safra (IINN-ELS). Faz parte do seu projeto a fabricação local de microchips e eletrodos, entre outros componentes, para tornar a região um polo de neurotecnologia.

Fonte: Revista Isto é - 10/10/2011

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Princesa Fernanda chegou !

Olá amigos,

A muito tempo atrás a Roberta mandou a sua história e do Guga, seu bebê, para que eu postasse no Blog...naquela ocasião ela estava com o coração apertadinho pq ele tinha ido morar com o papai do céu (faleceu com 30 dias em 2009 -era Down e nasceu com muitas complicações)...e agora recebi com muita alegria seu recadinho me informando que a Fernanda chegou ! olha a fotinho dela que princesa...
Parabéns Roberta!

Que a Fernandinha seja uma luz na sua vida, assim como o Guga, que de alguma forma tá lá emcima te espiando e torcendo por tua felicidade.


bjs com carinho do Cantinho do Rodrigo

quinta-feira, 6 de outubro de 2011




Steve Jobs e a revolução na área da deficiência

Quando criou o iPad, Steve Jobs não tinha ideia do quanto aquela ferramenta iria ajudar um grupo de pessoas em geral esquecido. Sem querer, a comunidade de pessoas com deficiência ganhou um aliado de peso.

O iPhone e iPad – e posteriormente os genéricos smartphones e tablets – acumulam um mundo de possibilidades para desenvolver as habilidades de pessoas com deficiência, facilitar sua vida, além de entretê-las e divertí-las, como nunca antes se imaginou possível.

Algumas destas facilidades:
iPad - uma mudança radical para pessoas com autismo.
Crianças com síndrome de Down aprendem a ler, escrever e falar com o iPad.

cotas para pessoas com deficiência



Comissão da Câmara aprova ampliação de cota para trabalhadores com deficiência no setor privado

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou na quarta-feira proposta que obriga as empresas que tenham de 50 a 100 empregados a preencher 1% dos seus postos de trabalho com beneficiários reabilitados ou pessoas com deficiência habilitadas. Atualmente, apenas as empresas que tenham mais de 100 empregados estão sujeitas a cotas para pessoas com deficiência, como determina a Lei 8.213/91.

A cota para pessoas com deficiência no serviço público está prevista na Lei 8.112/90 (reserva de até 20% das vagas oferecidas em concursos públicos).

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara


O trabalho de auxílio aos outros é medicação

colocada em nossa própria dor.”

(Joana de Ângelis)

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Crueldade!



Síndrome de Down em tigres

Muitos criadores, para manter a coloração fazem com que eles se reproduzam entre si. Normalmente são irmãos com os mesmos pais e isso faz com que às vezes alguns nasçam com alterações genéticas graves. A mais comum é a Síndrome de Down, uma alteração genética que não é exclusiva dos seres humanos.
Estes animais muitas vezes são incapazes de se alimentarem sozinhos, ou até mesmo de andar. Geralmente eles são sacrificados antes de completarem 6 meses de idade, mas um ou outro acaba sendo mantido para fins científicos e estudos genéticos.