segunda-feira, 31 de maio de 2010

OFICINA DE INVERNO NO CAVALO AMIGO






O tema será: Vivenciando a Equoterapia




CONTATO: Silvia Scheffer
Psicóloga
Fones: (51) 3343.4793 / 9113.8111
http://www.cavaloamigo.com.br/

SEGUNDA-FEIRA...MENSAGEM DA SEMANA !

Avance sempre

Na vida as coisas, às vezes, andam muito devagar.
Mas é importante não parar.
Mesmo um pequeno avanço na direção certa já é um progresso, e qualquer um pode fazer um pequeno progresso. Se você não conseguir fazer uma coisa grandiosa hoje, faça alguma coisa pequena.
Pequenos riachos acabam convertendo-se em grandes rios.
Continue andando e fazendo. O que parecia fora de alcance esta manhã vai parecer um pouco mais próximo amanhã ao anoitecer se você continuar movendo-se para frente.
A cada momento intenso e apaixonado que você dedica a seu objetivo, um pouquinho mais você se aproxima dele. Se você pára completamente é muito mais difícil começar tudo de novo.
Então continue andando e fazendo.
Não desperdice a base que você já construiu.
Existe alguma coisa que você pode fazer agora mesmo, hoje, neste exato instante.
Pode não ser muito mas vai mantê-lo no jogo.
Vá rápido quando puder.
Vá devagar quando for obrigado.
Mas, seja, lá o que for, continue.
O importante é não parar!!!

sábado, 29 de maio de 2010


Bom dia amiguinhos !

Ontem fui na Dra. Isabel (minha pediatra) e ela sugeriu que mamãe e papai trocassem meu leitinho p/ Leite de Soja, pois, segundo pesquisas, o leite de vaca é um alimento que cria "muco" no organismo, muco este que o organismo não consegue se livrar com facilidade, e então fica ali, criando um ambiente propício para bactérias se proliferarem, e aí, lá vem doenças, como o catarro, gases, intestino preso, alergia de pele, sensação de cansaço, e até vista fraca.
Por isso começarei a tomar leitinho de soja p/ amenizar este muco(catarro), já que estou com pneumonia. Vamos ver como irei reagir....manterei vcs informados.

abraços e bom final de semana
Rodrigo

PS. Continuo "de molho" em casa !

sexta-feira, 28 de maio de 2010


Boa tarde amiguinhos !

Estou de "molho" em casa por causa da PNEUMONIA...isso mesmo, esta danada me pegou !!! Mas não se preocupem que já estou medicado(e tendo muito carinho de papai e mamãe)...
E O SUSTO JÁ PASSOU!

Em breve estarei de volta aprontando na escolinha !
abração p/ todos.

Rodrigo

Pneumonia
A pneumonia é uma doença que afeta cerca de 2,1 milhões de brasileiros todos os anos, segundo dados do DATASUS. Esta doença é a principal causa de internação hospitalar (mais de 960 mil casos por ano) e a quinta causa de morte no Brasil.
Trata-se de uma doença que afeta mais os idosos, pessoas com doenças crônicas ou que tenham imunidade baixa(como os portadores de Síndrome de Down). Mas pode afetar também crianças, jovens e adultos saudáveis. Nas crianças, a pneumonia é a principal causa de morte em todo o mundo.
Conceito: A pneumonia é uma doença infecciosa que provoca inflamação dos pulmões. Geralmente é causada por bactérias, vírus e fungos. Dentre estes, a pneumonia bacteriana é a mais comum.
Sintomas- Febre alta; - Tosse;

terça-feira, 25 de maio de 2010


Balé sobre rodas
Santos, a única cidade do país a ter uma escola municipal de balé em cadeira de rodas, sediará campeonato brasileiro da modalidade.
Publicado em: 20/05/2010 >> LEIA MAIS
Projeto de Porto de Alegre aposta na equoterapia para tratar crianças com down !

segunda-feira, 24 de maio de 2010


Segunda-feira

MENSAGEM DA SEMANA

Oi pessoal !
A partir de hoje estarei postando toda segunda-feira uma mensagem para iniciarmos a semana de alto astral ! Serão mensagens de otimismo e alegria, portanto envie a sua e participe!

"Ajude, mesmo conversando!
Uma boa palavra, um sorriso de incentivo, um pensamento construtor são, muitas vezes, o ponto de partida para uma grande vitória daqueles que nos cercam. Se observar tristeza ou preocupação, procure ajudar.
Se não puder agir, fale. Se não puder falar, ao menos pense firmemente, desejando a felicidade e esta atingirá seu objetivo. Mas, ajude sempre."
(Minutos de Sabedoria)

Por hoje é isto, pessoal ! Não deixem de dar uma espiadinha por aqui todos os dias!!!
Muito obrigada a todos pela atenção, pelo carinho e pela "audiência" !!!

Beijos
Marilce & Rodrigo



AGUARDEM:
Lançamento da 2ª Edição!

O papel do professor de Educação Física na equipe Interdisciplinar

O trabalho com crianças jovens e adultos com necessidades especiais requer acompanhamento especializado realizado por uma equipe interdisciplinar que se caracteriza pelo desdobramento e interação dos profissionais de diferentes áreas tais como professores, fisioterapeutas, psicólogos, fonoaudiólogos, médicos etc . O professor de Educação Física atua na equipe interdisciplinar como uma referência a respeito de como o aluno se manifesta nas atividades corporais e coletivas. Ele observa se o aluno participa das atividades, como está se relacionando com os colegas, como está o seu interesse pela atividade, ou atividades que eles demonstra em específico maior interesse. Analisa como o aluno está em relação ao nível do desenvolvimento motor, das atividades que demandam o uso da fala, motricidade ampla e fina da noção de espaço, tempo e ritmo.
Estas informações trazidas pelo professor de Educação Física nas discussões de equipe, contribuem para que os demais profissionais que realizam atendimento com a criança percebam como está o desenvolvimento do seu paciente em relação ao seu perfil comportamental apresentado nas atividades físicas e coletivas. Fatores muito importantes tendo em vista que o desenvolvimento motor e social está diretamente interelacionado ao bem estar psíquico e afetivo do paciente em questão.

Rafael Thomé – Professor de Educação Física com grande experiência como instrutor de Capoeira Angola, atuando em instituições como creches, centros comunitários e em projetos sociais da Prefeitura de Porto Alegre com comunidades carentes. Vem desenvolvendo trabalho junto a crianças e adolescentes com deficiência desde 2001. Na FADEM além realizar as Oficinas de Capoeira semanalmente, acompanha os grupos educativos nos passeios realizados.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

NOTICIA

Estimulação precoce garante avanços no aprendizado de crianças com Síndrome de Down
Lígia Souto - Repórter da Agência Brasil

A estimulação precoce é um dos recursos fundamentais para atenuar riscos ou atrasos no desenvolvimento de crianças com Síndrome de Down, que apresentam dificuldades de aprendizado e complicações clínicas associadas. A opinião é da fonoaudióloga e consultora *Katya Cabrera Rodrigues.
Segundo ela, o atendimento especializado deve ser direcionado a faixa etária de zero a três anos com o objetivo de fazer com que o portador de Síndrome de Down esteja cada cada vez mais mais integrado às crianças que não têm a deficiência. De acordo com Katya, a estimulação precoce exige profissionais especializados. "Além de ajudar no desenvolvimento integral, de orientar e apoiar a família, ela ainda serve para fortalecer o vínculo afetivo da criança com seus pais e familiares", diz. Na opinião da fonoaudióloga, o grande desafio da escola é ensinar e educar todas as crianças, incluindo as portadoras de necessidades especiais. Segundo ela, apesar das diretrizes nacionais para a educação especial básica orientarem para a prática da inclusão, há carência de profissionais e professores preparados para receber alunos especiais na escola.
"As escolas precisam capacitar seus profissionais para que possam transmitir adequadamente conhecimentos para todas as crianças e principalmente aquelas que necessitam de atenção especial", alertou.
Para a obstetra especialista em medicina fetal, Denise Araújo Lapa Pedreira, as novas técnicas do tratamento e a integração na escola contribuem para que as crianças com Síndrome de Down alcancem estágios cada vez mais avançados no desenvolvimento.

*Katya Rodrigues
Consultora/Fonoaudióloga Especialista em Gestão de Pessoas & Desenvolvimento Infantil- Qualidade de vida para Pais e Filhos.

Site: http://www.estimulando.com.br

quinta-feira, 20 de maio de 2010


Oi amiguinhos !

As minhas fotos, juntamente com as de outras crianças, foram publicadas na matéria do Cavalo Amigo no site HORSEBACK
Imagens do Hipismo, e estavam até a semana passada em destaque na capa

Clique em destaques do momento:
http://www.horseback.com.br/

Um grande abraço,
Rodrigo


Escola é modelo para socialização de deficientes
iG acompanha a manhã de uma escola municipal do Rio de Janeiro referência em educação inclusiva.

O projeto “Colegas, o Filme” foi selecionado pela Secretaria de Cultura de Paulínia e receberá um apoio financeiro de 800 mil reais para ser realizado.


ENDURO DA AUTONOMIA

Como nos ensina o Dicionário Aurélio, enduro é uma prova de resistência que, em conjunto com uma série de outros elementos e condições, permite ao piloto ou cavaleiro chegar ao final da prova.

ASSITA O VÍDEO

terça-feira, 18 de maio de 2010


Desvendando dilemas da inclusão.
Para especialista, vale apostar em parceria entre escolas e famílias

Em entrevista à Inclusive,* Maria Antonieta Voivodic comenta a importância das expectativas familiares e da sua interação com o ambiente escolar no sentido de enfrentar os problemas reais que afetam o desenvolvimento das experiências educacionais inclusivas com pessoas com síndrome de Down e outras deficiências intelectuais.

*Maria Antonieta M. A. Voivodic é psicóloga, pedagoga e psicopedagoga. Mestre em Distúrbios do Desenvolvimento pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Diretora do Encontro – Centro Integrado de Desenvolvimento Infantil, onde, há mais de vinte anos, trabalha com a inclusão de crianças com deficiência.

segunda-feira, 17 de maio de 2010



Jecripe o primeiro jogo para crianças com Síndrome de Down


Em abril passado foi lançado o Jecripe, tido como o primeiro jogo para crianças com Síndrome de Down com a proposta de trabalhar áreas que necessitam ser estimuladas em crianças com a síndrome: linguagem, percepção, coordenação viso-motora, motricidade…



Oportunidade de trabalho para Pessoas com Deficiência

O programa de Inclusão de Pessoas com Deficiência do Sistema FIERGS, busca identificar no mercado de trabalho, pessoas interessadas em ingressar no SESI/RS, para atuar em diferentes regiões do Estado exercendo atividades administrativas diversas.

Participe deste processo enviando seu e-mail para: curriculo.incluir@fiergs.org.br até dia 24/05/2010


EQUOTERAPIA
Domador americano que divulga ao mundo inteiro importantes informações e benefícios deste tratamento.
O cowboy americano, que através de seu método já iniciou mais de 20 mil cavalos e vendeu mais de seis milhões livros, fez muita gente chorar na sua passagem por Brasília.

Um abraço e ótima semana!

sexta-feira, 14 de maio de 2010








Este espaço traz informações para esclarecer suas dúvidas sobre doação de órgãos e medula e saber onde você pode doar na Santa Casa.

Doação de Medula Óssea
Informações
Coordenadoria de Transplantes
Fone(51) 3214-8670


E-mail:transplantes@santacasa.tche.br

saiba mais>>

Por que a brincadeira é tão importante para a criança com síndrome de Down?
O desenvolvimento do jogo simbólico (casinha, médico, supermercado, etc) é muito importante para qualquer criança. A criança pequena inicia o desenvolvimento do brinquedo de forma gradativa, inicialmente explorando os objetos ao pegar, levar a boca ou apertar.
Aos poucos ela começa a perceber o outro e imita-lo usando os objetos de forma convencional (ex: entrando na banheira do boneco). Mais tarde, ela identifica o boneco como seu parceiro e o inclui na brincadeira podendo começar a compartilhar com o outro este brincar. Com isso, a criança repete situações vividas em sua rotina até evoluir para a representação de objetos inexistentes (ex: representa com um arco a direção de um carro). Com toda essa evolução ela vai gradativamente construindo conceitos, organizando o pensamento, interagindo com o meio e as pessoas, exercitando a memória, realizando relações entre objetos e fatos e com isso, desenvolvendo aspectos cognitivos, afetivos e de fala e linguagem.

Brinquedos indicados para cada idade
0 a 5 meses
Chocalhos, brinquedos musicais, mordedores, brinquedos de berço, móbiles, livrinhos de pano ou plástico, bolas com texturas diferentes para serem agarradas com as duas mãos.
6 meses a 1 ano
Brinquedos flutuantes (patinhos de borracha que bóiam na água), cubos que tenham guizos embutidos ou ilustrações, caixas ou brinquedos que se encaixam uns dentro dos outros, argolas empilháveis, brinquedos para martelar, empilhar e desmontar, brinquedos eletrônicos de aprendizado, mesa pequena com cadeirinhas na altura em que a criança possa alcançar os pés corretamente no chão, telefone de brinquedo, espelhos, brinquedos que emitem sons por meio de botões de apertar, girar ou empurrar.
1 a 2 anos
Brinquedos de variadas texturas (estimulam os sentidos da visão, da audição e do tato), bonecas de tecido e bichos de pelúcia feitos de materiais atóxicos, livros e álbuns de fotografia com ilustrações dos familiares e objetos conhecidos, brinquedos de empurrar ou puxar, brinquedos de montar e desmontar. Os brinquedos devem ter cores vivas e não podem ser tóxicos.
2 a 3 anos
Bolas, muitos blocos de brinquedos para empilhá-los e colocá-los dentro de caixas, brinquedos de encaixar e desmontar, brinquedos musicais, carrinhos, bonecas, cavalinho de balanço, brinquedos para praia ou piscina, brinquedos de equilibrar um em cima do outro. Nesta idade deve-se ensinar a criança a organizar e recolher os brinquedos.
3 a 4 anos
Triciclo, carrinho grande de puxar, aviões, trenzinhos, brinquedos infláveis, bolhas de sabão, caixas de areia com pás e cubos, cabaninhas, casas de bonecas, ferramentas de brinquedos, massinha de modelar, objetos domésticos, fantasias, máscaras, fantoches, instrumentos musicais de brinquedo como pandeiros, pianinhos, trombetas e tambores, brinquedos de montar e desmontar mais complicados, blocos de formas e tamanhos variados, jogos e quebra-cabeças simples, lápis de cor e papel para desenhar (círculos, bonecos, enumerar os elementos de uma ilustração, colorir), livros com diferentes ilustrações e histórias alegres.
4 a 6 anos
Esta é a fase do mundo imaginário, sua criatividade está se desenvolvendo. Os brinquedo nesta fase devem auxiliar a criança a entrar no mundo da fantasia, por exemplo: dinheirinho de brinquedo, caixa registradora, casas de boneca com móveis, telefone, cidadezinhas, circos, fazendas com animais, materiais de papelaria, postos de gasolina, meios de transporte (caminhões, automóveis e pistas, motos, aviões, trens elétricos, barcos e tratores), instrumentos musicais e eletrônicos, jogos. Nesta idade, a criança começa a sentir o que chamamos de medos infantis, como o medo do escuro, as bruxas, o bicho papão e outras coisas feias que impedem que a criança durma, desta forma recomendamos uma boneca ou um ursinho de pelúcia, que tem a função de ajudar as crianças a superarem esta fase.
acima de 6 anos
Jogos de tabuleiro, bolinhas de gude, pipas, carros de corrida, trens elétricos, argila para modelar, pincel, brinquedos de mágica, artigos esportivos, bicicletas, patins, skate, jogos eletrônicos, de memória, videogames, patinetes, futebol de botão, laptops, brinquedos colecionáveis, chaveiros, brinquedos eletrônicos, jogos de cartas, kits, pistas de carrinhos, quebra- cabeças.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

http://twitter.com/DownSemDiferenc




CANTINHO DO RODRIGO no Twitter !!!
Ouvidoria-Geral da Cidadania

Já está em funcionamento a Ouvidoria-Geral da Cidadania, órgão de assistência direta e imediata da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República. Seu principal objetivo é exercer as funções de ouvidoria de vários segmentos da sociedade como a população LGBT, crianças, idosos, pessoas com deficiência e grupos sociais vulneráveis em geral.
Qualquer pessoa pode e deve usar a Ouvidoria para relatar casos de discriminação.

Os telefones são (61) 2025-3116 / 9825 / 3908.
O fax é (61) 3321.1565

leia mais>>>



A vida tem um curso mágico às vezes... Como se nossos caminhos estivessem sendo costurados por mãos invisíveis...

Postado por Ana Mineira


terça-feira, 11 de maio de 2010

Portador da Síndrome de Down não deve ter cuidados excessivos, alerta especialista
Segundo psicóloga, superproteção é prejudicial ao desenvolvimento de qualquer criança.

LEIA MAIS


domingo, 9 de maio de 2010

SIMPLESMENTE ESPECIAL !!

Oi pessoal!

Conheci a história de David e quero convidá-los a visitar seu blog:
Ele é um jovem portador de Síndrome de Down que surpreendeu a todos mostrando que "ser especial" não é ser doente ou incapaz.
Segue o endereço do blog:
http://especiaisdt.bloggeiro.com
Mãe...
Sinônimo de carinho, atenção, amor,
dedicação e muita sabedoria.
Minha homenagem as Mamães Guerreiras e Especiais no seu dia!
FELIZ DIA DAS MÃES

sábado, 8 de maio de 2010



+ COISAS NA SEMANA DAS MÃES...



PARA QUANDO
Por Joel Cavalcante

Existe um momento
Quando a mulher não é só mulher
Mais do que porta entre céu e terra
Ela é o próprio paraíso
Em qualquer céu
Em qualquer terra
E seu rosto é o mapa da mina
Um sorriso enigmático
Riso olhando riso ainda não sorrido
Sorriso de canto nenhum do mundo
Que da boca pula para os olhos
Mais brilhantes que dois sóis
E quando quase se vê
Já está em outro lugar
Brincando de pique esconde com a felicidade
Em uma brincadeira tão gostosa
Que também sorri quem olha
Existe um momento
O mais belo do mais belo
Na mulher
Que tem o coração no rosto
É quando...E só quando apaixonada
E às vezes até mesmo sem saber
Abre-se para a voz
Do que brinca com os encantamentos
Nas magias das cantigas de rodas
E sonhos e duendes e flores perninhas e...
E descobre que quer ser mãe
Mãe por amor



Joel Cavalcanti é pai/mãe/avô, palestrante e autor de mais de 3 mil poemas. Tem 3 livros de poesia publicados, 1 cd chamado “De Joelhos” e 4 livros infantis de um projeto chamado “Livro Fácil”, desenvolvido para crianças de pouco ou nenhum poder aquisitivo. A ilustração é de Ana Maria Pacheco. Todo material pode ser baixado pelo 4shared.

REVISTA ISTO É
Comportamento(07.05.2010)


Gente!!

Semana do Dia das Mães não adianta...fico que é uma "manteiga derretida"...olha só este texto que achei(no blog de uma mãe de filhos que não tem síndrome de Down )...vale a pena repassar p/ vcs: É sobre o encontro dos seus filhos com um menino com síndrome de Down no parquinho de um Shopping Center.

Aprendendo a conviver com a diferença

Chega o fim de semana… E quem tem filho começa as orações pra Nossa Senhora do Programa de Indio. No último, depois de ter ouvido lamentações de segunda a sexta implorando por McDonald’s (o que pra mim significa: comida ruim, Coca-Cola com gelo, mesmo que você implore pra não colocar, repetir 364 vezes “termina o lanche!” e passar horas olhando pro nada esperando crianças se cansarem de brincar) me rendi. Como não sou boba fui preparada: aparelho de música com fone de ouvido e livro. E estava dando certo… Filho e amiguinho se esbaldando… só ouvia a gritaria de longe e percebia vagamente os vultos em minha volta… Até que chegou o João. Com uns 9 anos, a mesma idade dos meus (na verdade só tenho um, mas estou sempre com vários e quando estão comigo são todos meus) estava com a mãe e a irmã e ficou parado no canto do pátio observando a movimentação, como só as crianças sabem fazer… Aos poucos os três foram se aproximando e resolveram brincar de pega-pega. Quando ficaram exaustos se sentaram e foram jogar cartas de Bakugan (se você não faz a menor idéia do que se trata, fique apenas feliz por isso e esqueça o assunto). João distribuiu o baralho e eles passaram um tempão muito entretidos, até a mãe dele ter que ir embora, no meio de muitos protestos. Nada demais, não é? Apenas crianças brincando… Seria sim, não fosse por um detalhe: João tem Síndrome de Down. Quando ele chegou fechei meu livro e fui observar como ia interagir. A princípio pensei que fosse procurar as crianças menores, fiquei ainda mais curiosa quando vi que ele queria brincar com os “meus”. Sei que meu filho e seu amigo não têm nenhuma intimidade com pessoas com necessidades especiais, não me lembro de te-los visto antes com crianças que não fossem “normais”. Também não estão mais naquela idade em que tudo é natural e aceitável. Pelo contrário, estão começando a atentar para os enormes abismos que separam os seres humanos e muitas vezes, nessa fase, o grande barato é discriminar o diferente. Então não nego que minha respiração ficou um pouco suspensa.
Ele tem problemas de fala e dificuldade de entender regras mais complexas das brincadeiras, além, é claro, das características físicas. Mas eles driblaram esses obstáculos. João ficou sendo sempre o pegador e adorou! E os outros dois riam muito enquanto fugiam, mas sempre junto com o João e nunca dele. A comunicação também foi resolvida: eles ficaram perto da mãe do novo amigo e quando precisava ela fazia uma traduçãozinha. E pronto! Superadas as diferenças ficaram sendo só aquilo que sempre foram: crianças.
Óbvio que a babona aqui deu vexame. Ainda que tentando ser discreta não conseguia parar de sorrir e nem conter as lágrimas. Fiquei feliz. Orgulho pela coragem do João, que não se importando em enfrentar uma possível rejeição, fez o que teve vontade de peito aberto e com muita independência. E pelos “meus” meninos que lidaram com aquela situação tão diferente com delicadeza, elegância e generosidade. É claro que eles perceberam. Dentro do carro me bombardearam de perguntas, que respondi com toda sinceridade. Não deixei de ressaltar a importância e o valor da atitude deles e de explicar que muitas pessoas, até mesmo muitas crianças, não teriam tido um comportamento tão cheio de dignidade e naturalidade.
Adorei o passeio no McDonald’s.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Olá amigos!

Hoje saiu o resultado da enquete:
E o tema vencedor é.... PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS"
O objetivo desta enquete foi fazer um levantamento de quais assuntos era de interesse de vc leitor que participa deste Blog, portanto continuarei postando assuntos e situações que efetivamente vem comprometendo a inclusão das pessoas com síndrome de Down e outras deficiências na sociedade e (tentar)desfazer uma série de falsos dilemas que povoam a mente das pessoas e são disseminados à opinião pública como fatos consumados.
Convido a todos para que participem dessa iniciativa divulgando o Blog Cantinho do Rodrigo.
Um abraço
Marilce Giglio

Moda para eles
Estilista cria roupas para melhorar a qualidade de vida dos deficientes

Maria de Fátima Grave, professora de modelagem em cursos de moda em três universidades paulistas, deparou-se há alguns anos com um pedido inusitado: criar uma camiseta capaz de passar na cabeça de um menino de 5 anos com hidrocefalia. "Parecia impossível que a mãe não encontrasse algo pronto, mas não havia mesmo. Criei um modelo com decote que abotoava nos ombros", conta. O fato despertou sua curiosidade para pesquisar roupas para deficientes e resultou no livro A Modelagem sob a Ótica da Ergonomia (Editora Zennex Publishing, 2004, R$ 34*).




Síndrome de Usher
A comunicação com o tato facilita a vida dos portadores da doença, que afeta a audição e a visão


segunda-feira, 3 de maio de 2010


O Caminhos da Reportagem desta quinta-feira (6) apresenta histórias de superação.

Mulheres cegas, surdas, tetraplégicas ou com deficiência intelectual mostram que é possível superar as limitações e viver a maternidade.