sexta-feira, 29 de abril de 2011

Para conhecimento de todos!



Direitos das Pessoas com Autismo

A Defensoria Pública de São Paulo lançou a cartilha "Direitos das Pessoas com Autismo". Além dos direitos do paciente, o material tem orientações sobre a rede de atendimento especializada e informações sobre sintomas, diagnóstico e tratamento.

Baixe a cartilha através de: http://www.assistiva.org.br/sites/default/files/direitospessoasautismo_leitura_0.pdf

Fonte

terça-feira, 26 de abril de 2011

Programa preconceituoso



MTV Casa dos "Autistas"
Desabafo escrito por: Alexandre Mapurunga

Eu que cresci em casa de autistas quero de forma veemente repudiar esse pretenso humor, estigmatizante e preconceituoso para com as pessoas com autismo.
Liberdade de expressão, demanda também consciência e responsabilidade por sua ações... ainda mais quando se tem a disposição um meio de comunicação de massa como a TV.
Como podemos pensar em construir uma visão de respeito e dignidade inerente, autonomia, vida independente, reconhecimento igual perante a lei, um visão de direitos humanos compartilhada e vivida no dia-a-dia se um meio de comunicação como a MTV, uma concessão pública, com extrema influência no público jovem age de forma tão boçal e irresponsável?
É preciso uma ação coletiva dos movimentos e um posicionamento da SNPD e CONADE baseado na Convenção em seu art. 8.1.b: Os Estados Partes se comprometem a adotar medidas imediatas, efetivas e apropriadas para combater estereótipos, preconceitos e práticas nocivas em relação a pessoas com deficiência. Estou indignado!

Ajude a divulgar o Abaixo-assinado.

Agradecemos que envie um email rápido a seus amigos a informar da existência deste abaixo-assinado online.

Abaixo assinado contra o programa da MTV Casa dos Autistas

terça-feira, 19 de abril de 2011

Tempo de Páscoa



História da Páscoa


As origens do termo

A Páscoa é uma das datas comemorativas mais importantes entre as culturas ocidentais. A origem desta comemoração remonta muitos séculos atrás. O termo “Páscoa” tem uma origem religiosa que vem do latim Pascae. Na Grécia Antiga, este termo também é encontrado como Paska. Porém sua origem mais remota é entre os hebreus, onde aparece o termo Pesach, cujo significado é passagem.

A História do coelhinho da Páscoa e os ovos
A figura do coelho está simbolicamente relacionada à esta data comemorativa, pois este animal representa a fertilidade. O coelho se reproduz rapidamente e em grandes quantidades. Entre os povos da antiguidade, a fertilidade era sinônimo de preservação da espécie e melhores condições de vida, numa época onde o índice de mortalidade era altíssimo. No Egito Antigo, por exemplo, o coelho representava o nascimento e a esperança de novas vidas.
Mas o que a reprodução tem a ver com os significados religiosos da Páscoa?
Tanto no significado judeu quanto no cristão, esta data relaciona-se com a esperança de uma vida nova.
Já os ovos de Páscoa (de chocolate, enfeites, jóias), também estão neste contexto da fertilidade e da vida. A figura do coelho da Páscoa foi trazido para a América pelos imigrantes alemães, entre o final do século XVII e início do XVIII.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

MINHA HISTÓRIA



Bom dia !

Hoje temos no "Minha História" o e-mail recebido da fofa da Luana do Rio de Janeiro. O Kauê é um dos anjinhos de Deus que foi enviado a ela...

Bjs queridona e obrigada por compartilhar conosco sua linda história !


"Oi Mari e Rodriguinho ...vim aqui contar minha história pra vcs!!! Bom, a tres anos atras conheci um homem maravilhoso por quem me apaixonei e resolvi casar...eu tinha apenas 17 anos quando começamos a morar junto, logo depois meu marido teve uma conversa muito triste comigo, ele disse que não podia ter filhos...contou com os olhos cheios de lágrimas que era o sonho dele ser pai...mas infelizmente não podia...fiquei bastante triste mas o apoiei...a gente resolveu deixar de lado essa conversa e partir pro futuro!!! Puco depois de três meses de casados começei a sentir um mal estar...desmaiei no banheiro e ficamos muito preocupados...como o mal estar não passava resolvi ir no médico, ele me pediu alguns exames e descobri que estava gravida...imaginem a alegria do meu marido...ele radiava de tanta felicidade ,,no começo eu fiquei meio apavorada, muito nova sem entender muito sobre cuidar de bebês...mas tbm fiquei muito feliz...foi uma gravidez muito sofrida...sofri duas hemorragias...o sofrimento e o medo era muito grande de perder nosso filho, mas a fé em Deus era maior que tudo. Fiz ultra sonografias e graças a deus o bebê estava bem.ate então não sabiamos o sexo do nosso filho...quando fiz a ultra e o resultado foi um garotão..meu marido pulava de felicidade..rezou muito agradecendo a Deus por esse filho...por esse sonho realizado...enfim chegou o grande dia o KauÊ nasceu. ..muito lindo e muito saudavel...chegou o dia de receber alta da maternidade o papai todo bobo com o filhão no colo...quando levei o kauÊ pra primeira vacina uma enfermeira o pegou do meu colo e ficou olhando ele todinho sem falar nada...começou assustar a gente pois ela não dizia nada só o examinava demais...depois de examinar me perguntou se eu sabia que meu filho era portador da sindrome de down...aquilo veio com uma força tão grande que não contive minhas lagrimas...ate por que eu não entendia muito sobre o assunto...ele foi encaminhado a uma pediatra e ela confirmou o sindrome..no inicio foi uma barra aceitar;..mas depois me dei conta da grande burrada que estava fazendo, vi que estava sendo injusta com meu filho e comigo mesma...o pai dele aceitou bem melhor que eu...resolvi deixar aquele sentimento bobo de lado e curtir o presente que Deus havia me dado...pois a meses atras eu e meu marido tinhamos chorado por não poder ter filhos e Deus nos presenteia com um de seus anjos e a gente perdendo a delicia de vida que estava nos esperando...hoje vejo que meu filho veio do jeitinho certo..especial demais pois afinal ele é o nosso milagre...é isso , Mari hoje meu filhão é minha vida, meu porto seguro, esta prestes a fazer dois anos no proximo mês e eu me sinto a mamãe mais feliz e coruja de todo mundo....

bjoss... Luana!!!

sexta-feira, 15 de abril de 2011

PORTO ALEGRE - passe livre


O passe livre no sistema de transporte coletivo municipal

A pessoa com deficiência mental, física, visual ou auditiva tem direito a passe gratuito nos ônibus do sistema de transporte público municipal de Porto Alegre desde que sua renda mensal própria seja comprovadamente igual ou inferior a seis salários mínimos nacionais.

Para requerer Carteira de Passe Gratuito é necessário apresentar:

• duas fotos 3x4 recentes

• cópia da carteira de identidade

• cópia do comprovante de renda

• comprovante de uso do Sistema de Transporte de Porto Alegre*

• atestado médico com o “CID” da doença.

Para encaminhar a Carteira de Passe Gratuito:

Pessoa com deficiência mental

APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais

Galeria do Rosário, 14º andar, sala 1.416

Fone: 3224-5029

De segunda a sexta-feira, menos quartas pela manhã.

Pessoa com deficiência física

FREDEF - Federação Rio-grandense de Entidades de Deficientes Físicos

Galeria do Rosário, 17º andar, sala 1.717

Fone: 3226-6587

De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h

Pessoa com deficiência visual

ACERGS - Associação de Cegos do Rio Grande do Sul

Rua General Andrade Neves, 100 / Sala 501 - Galeria Edith

Fone: (51) 3225-3816/4911



Pessoa com deficiência auditiva

FENEIS - Federação Nacional de Educação e Integração de

Rua Dona Laura, 1020/104 - Bairro Rio Branco

Fone: (51) 3321-4244 Fax: (51) 3321-4334.


De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 17h30.


* O uso pode ser atestado por profissional de saúde, estabelecimento de ensino, igreja, clube social esportivo entre outros. Também pode ser declarada de próprio punho a necessidade de uso do sistema, o que será avaliado pela EPTC.


Atenção: Você não paga para solicitar o Passe Livre.

Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade


X REATECH – Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade

Para cada caso, uma solução!

Esta frase serve para tudo.

Para cada carro, um pneu. Para cada tipo de viagem, um transporte diferente. Para cada parede, uma pintura diferente, e assim por diante. No mundo das pessoas com deficiências não é diferente, pois a maioria das soluões é individual. Imagine ficar procurando pela Cidade, pelo Estado, pelo País ou pelo mundo para conhecer e adotar soluções as mais diversas? Uma loucura! Impossível! E a REATECH consegue esta façanha. Reunir os fornecedores das soluções que atendem às necessidades das pessoas com deficiências. A cada edição os visitantes voltam com mais interesse para conhecer esses produtos e trazem os seus amigos, ampliando sempre a quantidade e a qualidade dos visitantes. Este ano a REATECH, a maior feira em Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade das Américas apresenta a sua 10º edição em São Paulo. A REATECH consegue reunir no Centro de Exposições Imigrantes um imenso número de soluções para pessoas com deficiência , além de abrigar vários outros eventos simultâneos, como cursos, fórum, seminários, oficinas e palestras sobre o tema.

14 a 17 de Abril de 2011

Quinta e Sexta das 13hs às 21hs.

Sábado e Domingo das 10hs às 19hs.

Visitação Gratuita

Local Centro de Exposições Imigrantes Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – São Paulo – SP

Transporte Gratuito

Estação do Metrô Jabaquara

Saída das Vans na Rua Nelson Fernandes, 400

quinta-feira, 14 de abril de 2011

EDUCAÇÃO INCLUSIVA X EDUCAÇÃO ESPECIAL


DEBATE DA SEMANA

Encaminho a vocês um texto que nos dá uma possibilidade de discussão a cerca da inclusão...


A EDUCAÇÃO INCLUSIVA E A EDUCAÇÃO ESPECIAL

Por: Naira Pereira Presidente do Instituto Travessia

O jornal O Globo publicou uma reportagem sobre a possibilidade, até o fim do ano, do fechamento de duas instituições federais dedicadas a Educação Especial: O Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES), e o Instituto Benjamim Constant que atende deficientes visuais. De acordo com a matéria, a diretoria de Políticas Educacionais do MEC pretende fechar os dois estabelecimentos e incluir seus alunos na rede pública municipal e estadual. Por um lado, quem defende o fim das instituições dedicadas ao atendimento de pessoas com necessidades especiais, aponta a necessidade humana da interação social e comunitária e os efeitos negativos da convivência exclusiva entre pares. Por outro lado, quem defende a continuidade desses espaços aponta a atual conjuntura das redes de ensino públicas e eu até diria da rede privada que não se encontra preparada para a atenção especial exigida em cada tipo de necessidade especial. Quem está certo? Quem defende o fim das instituições especializadas defende o que é ainda uma utopia. Sabemos que para avançarmos na políticas públicas em geral e na de educação em particular precisamos sempre ter em vista aonde queremos chegar. Porém, para milhares de crianças, adolescentes e familiares aonde queremos chegar se encontra muito distante de um dia a dia de incontável angústia de como lidar com o hoje. De como lidar com as pequenas habilidades de sobrevivência e aprendizagem por aqueles que tem um desenvolvimento fora dos padrões de normalidade. Para essas crianças e adolescentes o desejo de uma educação, uma escola inclusiva não é retórico. Não é apenas ideológico. É um desejo concreto, pragmático e urgente. Esses pais sabem o que representa, nos dias de hoje, ir de escola em escola procurando uma vaga. Na rede pública a vaga é garantida. Mas o espaço não é. O desejo, habilidade, disponibilidade não é. Eles se sabem finitos e a cada dia em que as habilidades necessárias a sobrevivência e a construção de uma autonomia e de um futuro não avançam para seus filhos, eles morrem um pouquinho. Ir a reuniões de pais que seguem a vida e os conteúdos programáticos com desafios maiores ou menores, mas com possibilidades concretas de aproveitamento chega a ser cruel para aqueles que têm filhos com necessidades especiais. O dia a dia das escolas inclusivas não inclui o debate dos específicos e especiais. E para as crianças, adolescentes e seus familiares a educação inclusiva só será de fato inclusiva quando o “especial” se tornar pauta também.


E o que você acha?

Como sua cidade vivencia a educação inclusiva?


O Instituto Travessia quer debater com você sobre esse tema. pontes@institutotravessia.com

quarta-feira, 13 de abril de 2011


A SUPERAÇÃO DE BRUNA PARA OBTER O DIPLOMA


Contrariando laudos de que teria dificuldades para se alfabetizar, estudante se formará em Pedagogia.


terça-feira, 12 de abril de 2011

Fórum sobre Educação Inclusiva: Reflexões e Debate


Fórum sobre Educação Inclusiva:


O Conselho Regional de Psicologia do Rio Grande do Sul – Subsede Sul promove na próxima quinta-feira (14), a partir das 18h30, o Fórum sobre Educação Inclusiva: Reflexões e Debate.

O evento tem como objetivo oferecer espaço para o compartilhamento de experiências entre educadores e a reflexão sobre o papel do psicólogo escolar/educacional. O encontro, voltado para psicólogos, pedagogos, assistentes sociais e educadores em geral, ocorrerá na Subsede Sul do CRPRS (Rua Félix da Cunha, 772/304, Pelotas/RS).


As inscrições são gratuitas.


segunda-feira, 11 de abril de 2011

Para os dentistas !!


Orientações sobre como lidar com clientes com deficiência


A Turma do bem, em parceria com a ONG Vez da Voz, iniciou o projeto Vez do Bem com o objetivo de orientar cirurgiões-dentistas para uma atuação adequada no atendimento de pessoas com deficiência. Atualmente, no Brasil, mais de 24 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência. Lutar pela inclusão e cobrar condições apropriadas para que essas pessoas possam realizar suas atividades rotineiras como trabalhar, frequentar a escola, ir ao shopping, supermercado ou dentista, é a missão da Vez da Voz.

A Turma do Bem, sensível a causa, quer contribuir mostrando aos nossos voluntários como atitudes – muitas vezes, simples – podem fazer uma grande diferença no momento do atendimento odontológico do deficiente e ainda ser um diferencial para o profissional. Com base nessa proposta, foram realizados encontros semanais com dentistas voluntários da rede, especialistas e pessoas com deficiência para um levantamento dos pontos críticos que devem ser levados em consideração pelo dentista no momento do atendimento. Em cada reunião foi abordada uma deficiência diferente: auditiva, intelectual, visual e física.


A Turma do Bem é uma ONG dedicada a menores carentes que necessitam de tratamento odontológico. Realizamos nossas atividades com o apoio de voluntários no país.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Vez da Voz


Criada em 2004, a Vez da Voz é uma OSCIP que luta pela inclusão da pessoa com deficiência.

História de vida motivou criação da entidade.

Cláudia Cotes, presidente da Vez da Voz, conviveu desde criança com a diversidade. Ela e a irmã, Paloma, têm um irmão, o Paulo, que nasceu com Síndrome de Down. Na época, as deficiências e os assuntos relacionados à inclusão não eram divulgados. A família sofreu preconceito, mas a deficiência nunca impediu que os irmãos brincassem e fossem unidos.

Foi essa história junto ao irmão com deficiência que fez com que Cláudia descobrisse uma missão: a de incluir pessoas com deficiência no mundo da comunicação. Depois que Paulo morreu, aos 34 anos, em 3 de dezembro de 2004, Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, Cláudia e Paloma criaram a Vez da Voz.

terça-feira, 5 de abril de 2011

deficientes intelectuais


Formas criativas para estimular a mente de deficientes intelectuais

O professor deve entender as dificuldades dos estudantes com limitações de raciocínio e desenvolver formas criativas para auxiliá-los. De todas as experiências que surgem no caminho de quem trabalha com a inclusão, receber um aluno com deficiência intelectual parece a mais complexa. Para o surdo, os primeiros passos são dados com a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Os cegos têm o braile como ferramenta básica e, para os estudantes com limitações físicas, adaptações no ambiente e nos materiais costumam resolver os entraves do dia-a-dia.

Mas por onde começar quando a deficiência é intelectual? Melhor do que se prender a relatórios médicos, os educadores das salas de recurso e das regulares precisam entender que tais diagnósticos são uma pista para descobrir o que interessa: quais obstáculos o aluno enfrentará para aprender - e eles, para ensinar.


Quer ler a matéria na íntegra?? Acesse aqui

segunda-feira, 4 de abril de 2011

ANIVERSÁRIO DE MEU PAPAI !


Olá !

Ontem, dia 03/04, foi a aniversário de meu papai querido,

por isso, quero mandar uma mensagem pra ele:

" Papi...Seja feliz e realize passo a passo todos os seus sonhos, sem nunca desanimar diante das barreiras que atravessarem em seu caminho.

Estarei sempre com você!"

Te amo

Rodrigo

sexta-feira, 1 de abril de 2011

AUTISMO


O dia 2 de abril foi definido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como Dia Mundial de Conscientização pelo Autismo.


Um levantamento da instituição aponta a existência de cerca de dois milhões de pessoas portadoras de autismo no Brasil e 70 milhões no mundo. Nesta quinta-feira, Alessandra Araújo Gudolli, mãe de duas crianças autistas, esteve na Câmara de Vereadores para divulgar a realização de atividades na Capital para lembrar a data. Representante do Movimento Autismo & Vida, que reúne 20 famílias, Alessandra disse que, com informação, acolhimento e intervenção especializada precoce, é possível promover a inclusão escolar dos portadores desse transtorno de desenvolvimento que afeta a comunicação.

A palestrante comentou a vivência com os filhos para frisar a importância da intervenção precoce. Segundo ela, Júlia, sete anos, e Eduardo, três, têm autismo em graus diferentes. Júlia apresenta a forma leve, sempre estudou em escola regular e hoje, depois de acompanhamento especializado, fala normalmente e consegue se posicionar em sala de aula. Eduardo é portador da forma moderada de autismo, caracterizada pela não verbalidade. "Mas, com a intervenção precoce, ele pode se tornar verbal", destaca. De acordo com Alessandra, o autismo se manifestou nos seus filhos por volta dos dois anos. No caso de Júlia, a mãe notou que a menina não atendia a seus chamados e parecia se isolar do mundo. "É fundamental que os pais observem seus filhos e busquem ajuda ao primeiro sinal", comenta.

Segundo ela, para tentar atenuar as dificuldades de atendimento especializado, uma das metas do Autismo & Vida é criar um instituto para capacitar pessoas a lidarem com autistas. Alessandra convidou os vereadores e o público a participarem das atividades para marcar o Dia Mundial de Conscientização pelo Autismo, vestindo uma roupa azul no sábado e no domingo. Porto Alegre, Canoas e Montenegro estão entre as cidades que realizarão ações.


Na Capital, a Usina do Gasômetro será iluminada de azul, cor que simboliza o autismo. No sábado, das 10h às 13h, será montada uma tenda do Movimento Autismo & Vida no Parque da Redenção.


No domingo, a partir das 12h, haverá uma caminhada pelo Brique e distribuição de balões azuis. Notícia divulgada no Jornal do Comércio.