quarta-feira, 27 de março de 2013

AFAD

Bruna Brandolt, do grupo de jovens da AFAD/POA, para Jornal O Sul de Porto Alegre, em anúncio da empresa Propaganda Futebol Clube. Confiram no Facebook da empresa:” No Dia Internacional da Síndrome de Down, um sentimento que gostaríamos que fosse compartilhado: a diferença está nos olhos de quem vê.”

A diferença está nos olhos de quem vê
Existem certos assuntos que precisamos olhar por uma outra perspectiva. A Síndrome de Down é um deles. Por incrível que pareça, um dos seus traços mais marcantes ainda é o preconceito. Doença? Não. Uma alteração genética que influi no desenvolvimento cognitivo. Dito isso, perceber todos com Síndrome de Down da mesma maneira seria nosso maior equívoco. Comportamento, gostos, vontades, nada disso depende da Síndrome. Depende de como cada um vê o mundo e como este vê de volta. Por isso, depois do grande esforço de famílias e instituições para preparar seus filhos para a sociedade, para o trabalho, para a vida, não basta aceitar. Temos de incluir. Eles estão te olhando. Olhe diferente.

sexta-feira, 22 de março de 2013

Mais homenagens...

Olá amigos!

Hoje venho aqui agradecer a minha querida amiga Vanessa pelo carinho dedicado a meu Rodriguinho. Segue abaixo texto publicado em seu facebook no dia de ontem.



Hoje é dia 21 de março, Dia Internacional da Síndrome de Down,
a síndrome do amor!

E nada melhor do que passar com o meu amigo Digo!
Nós vimos Rio, dançamos com o Patati e o Patatá, brincamos tanto até virar a casa de pernas para o ar...Cada dia gosto mais desses dedos gordinhos que me enchem de carinho, me abraçam, puxam meus cabelos... daqueles beijos que me encharcam de baba, mas que são dados... com muito amor, sinceridade e um pouquinho de interesse também... hehehe

Enfim, meu muito obrigada hoje vai para a mamãe Marilce Giglio, por ter colocado este anjinho no mundo e na minha vida, por me ensinar coisas maravilhosas e impressionantes sobre a inclusão e acessibilidade de pessoas com deficiência!

Quem quiser saber mais sobre o Rodrigo, a Mari, a Síndrome de Down e outras deficiências, pode acompanhar o blog http://rodrigogigliobenites.blogspot.com.br/

quinta-feira, 21 de março de 2013

Dia Internacional da Síndrome de Down


Sou um ser especial
tenho muito a te ensinar sobre o
verdadeiro amar
aqui nesta esfera mortal
Sou diferente da maioria
não sei mentir ou fingir
o que sei mesmo é sorrir
e espalhar minha alegria
Vim ao mundo pra ensinar
mais do que para aprender
ensinar a você como amar
Os seus preconceitos vencer
as diferenças aceitar
e ao Pai Celeste bendizer.

Minha pequena homenagem a essas pessoas tão especiais, anjos mandados
por Deus para nos fazer mais humanos.

Dia 21 de março
Dia Internacional da Síndrome de Down...
a Síndrome do Amor !

quarta-feira, 20 de março de 2013

Fonoaudiologia


Bom dia amigos do Blog !

Promessa cumprida!
Segue abaixo nossa primeira matéria com a Fonoaudióloga Léia.

Seja bem vinda "tia Léia" .

Caso queiram contatá-la segue e-mail:
leiagg@yahoo.com.br




Abraços
Marilce Giglio

 
Oi gente!!

Meu nome é Léia e sou Fonoaudióloga formada pela UFCSPA e Mestre em Ciências da Saúde pela mesma Universidade. Primeiramente digo que é um prazer fazer parte do desenvolvimento do Rodrigo. Em cada encontro tenho a oportunidade única de auxiliá-lo em seu desenvolvimento e de ensinar e aprender junto com ele!

Começo contando para vocês um pouco sobre a Fonoaudiologia, essa ciência extremamente ampla, que abrange os diversos níveis de desenvolvimento e todas as faixas etárias, nas áreas da saúde e da educação. Temos cinco especialidades dentro da Fonoaudiologia. A primeria, Audiologia, trata das alterações auditivas e dos cuidados com a audição. A segunda é a Linguagem, que atua na comunicação oral e escrita. A Motricidade, terceira especialidade, está relacionada com a reabilitação da respiração, sucção, mastigação, deglutição, expressão facial e articulação da fala. A Saúde Coletiva é a quarta e está voltada a construir estratégias de planejamento e gestão em saúde em políticas públicas. Por fim, temos a Voz como última especialidade, objetivando prevenir, avaliar e tratar as alterações vocais.

Especificamente na Síndrome de Down, a atuação da Fonoaudiologia centra-se no desenvolvimento cognitivo, comunicativo, linguístico, neuropsicomotor e social da criança, além de cooperar no processo de inclusão escolar. Sabemos que o ambiente oferece, ao longo do desenvolvimento, estímulos essenciais para que a criança possa desenvolver seu potencial, e cabe ao fonoaudiólogo, nesse sentido, organizar e ajudar a criança a se desenvolver em seu ambiente. De uma forma geral, a estimulação é o tópico mais importante no tratamento fonoaudiológico na Síndrome de Down, e quanto mais precocemente ocorrer, melhores resultados serão alcançados.

Como uma criança não é igual a outra, os avanços vão depender das suas características individuais, do ambiente em que está inserida e de diversos outros fatores que podem estar relacionados. Por isso, o trabalho fonoaudiológico deve ser específico para cada indivíduo. Por fim, o envolvimento dos familiares e as orientações dadas a eles nesse processo são essenciais, já que eles passam a maior parte do tempo com a criança e são os responsáveis por seus cuidados no dia-a-dia!

Um grande abraço,

Léia G. Gurgel

terça-feira, 19 de março de 2013



Adolescente Joanne O'Riordan obrigou governo do país a voltar atrás em decisão,
postando um vídeo na internet.

Joanne tornou-se porta-voz da luta pelos direitos das pessoas com deficiência na Irlanda. A menina voltou a ganhar os holofotes da mídia quando postou um vídeo na internet – que se tornou viral – em que o atual primeiro-ministro irlandês, Enda Kenny, prometia a ela que não faria cortes nas ajudas financeiras e nos serviços oferecidos aos deficientes.

Leia mais em G1Mundo


terça-feira, 12 de março de 2013

Equoterapia e a Síndrome de Down

Olá amigos !

Conforme informado anteriormente, todo mês teremos postagens a respeito da EQUOTERAPIA, sendo assim, segue abaixo a matéria de março.

Outra novidade neste ano... 
Em breve teremos também a contribuição referente a FONOAUDIOLOGIA com a mais nova parceira e amiga do Blog...a Dra. Léia Gurgel que, assim como a fisioterapeuta Jerusa S Wolmann, está fazendo um ótimo trabalho com o Rodrigão.

Mande também sua contribuição pelo e-mail: marilcegiglio@hotmail.com

Grande abraço
Marilce Giglio


Equoterapia e os benefícios para as pessoas com Síndrome de Down

A Equoterapia é reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina, trata-se de uma terapia destinada a crianças e adultos com deficiência, sejam elas físicas, intelectuais ou mentais, onde o cavalo age como meio facilitador de modo cinesioterapêutico, sendo os movimentos do andar do cavalo (andadura) que proporciona a reabilitação, ganho de força muscular, equilíbrio, melhora na postura, coordenação motora, confiança, autoestima, entre outros. É o chamado movimento tridimensional, onde ocorrem movimentos latero-laterais, ântero-posteriores e cefalo-caudal. O cavalo realiza movimentos de rotações para dissociação de cinturas escapular e pélvica, inclinações de tronco para transferência de peso. Essas oscilações ocorrem no mesmo plano que do ser humano e são interpretados pelos canais semicirculares do aparelho vestibular como movimentos fisiológicos

A Equoterapia vem crescendo nos últimos anos, atua com uma equipe multidisciplinar, onde o fisioterapeuta possui papel importante junto ao tratamento, estudos realizados na área tem se mostrado satisfatórios em portadores de síndromes neurológicas, principalmente no que diz respeito à reabilitação de crianças e adultos com deficiência, como Síndrome de Down.

Existem varias pesquisas no que diz respeito ao movimento do dorso do cavalo e as suas consequências do que diz respeito ao seu praticante/cavaleiro. Uma destas consequências é o ajuste tônico, pois o cavalo é um animal que nunca está totalmente parado, ocorre troca de patas, movimentos do pescoço, o abanar da cola, com isso, impõem ao praticante/cavaleiro um ajuste em todo seu comportamento muscular e postural, a fim de responder ao desequilíbrio provocado por esses movimentos. Esse ajuste tônico ritmado, ocasionado pelo passo do cavalo, proporciona mobilização ósteo-articulares que facilitam um grande número de informações proprioceptivas, exigindo do praticante/cavaleiro contração e relaxamento simultâneos dos músculos agonistas e antagonistas.

Os principais benefícios da Equoterapia são: melhora do equilíbrio e postura; desenvolve a modulação tônica e estimula a força muscular; desenvolve a coordenação de movimentos entre o tronco, marcha, membros e visão; promove a organização e a consciência corporal; estimula a sensibilidade tátil, auditiva, visual e olfativa; oferece sensação de ritmo; desenvolve a coordenação motora ampla e fina; aumento da autoestima, facilitando a integração social; em consequência estes têm um melhor desempenho e qualidade de vida.

O tratamento de Equoterapia para crianças com Síndrome de Down vem crescendo e apresentando efeitos benéficos, principalmente no que diz respeito ao desenvolvimento das variáveis psicomotoras (equilíbrio estático e dinâmico, coordenação motora ampla e fina, lateralidade, orientação temporal e espacial e esquema corporal).

A criança com Síndrome de Down passa pelas fases da evolução motora, porém essa evolução ocorre de forma mais lenta, pois, desde os primeiros dias de vida a criança apresenta hipotonia global. Para vencer todas as dificuldades impostas pela hipotonia, é preciso que se trabalhe com elas, propiciando à criança liberdade de movimentos e estímulos, com isso, auxiliará muito o fortalecimento da musculatura e consequentemente avanços no desenvolvimento motor como um todo.

Obrigada pela atenção pessoal!

Abraço à todos!

Fisioterapeuta: Jerusa S Wolmann (tel. 51-85750496)