sexta-feira, 29 de julho de 2016

Sim...eles podem ser empreendedores também !

 
Jovem com Down é o empreendedor mais novo de sua cidade

A pequena cidade de Sanger, no Texas, tem cerca de sete mil habitantes. Em maio deste ano, muitos deles se deslocaram para celebrar um novo negócio: o Blake’s Snow Shack, que comercializa raspadinhas.
Porém, procurar um refresco perfeito para os dias quentes não é o único motivo da visita em massa. O líder do empreendimento, Blake Pyron, tornou-se oempreendedor mais jovem da cidade, com 20 anos de idade. Além disso, também é o único dono de negócio com Síndrome de Down em toda a cidade.
 
História
Quando Blake nasceu, sua mãe ouviu algo que muitas mães de filhos com Síndrome de Down costumam ouvir: que ele não poderia fazer coisas que as outras crianças faziam, como andar e falar.
“Quando você recebe uma criança com necessidades especiais, a sociedade fala para não esperar muito dela”, conta Mary Ann Pyron à rede televisiva ABC e ao programa The Texas Bucket List. “Nós decidimos ir além, dizendo para nós mesmos que tudo ficaria bem e que Blake ficaria bem. Que nós iríamos nos assegurar disso.”
Blake levava uma vida comum: cursava o colegial e trabalhava em um restaurante de churrasco. Sua inspiração empreendedora surgiu pouco após se graduar no ensino médio - um mês depois de pegar seu diploma, o local onde trabalhava fechou.
“Ele sentia muita falta dos clientes que atendia e queria um trabalho”, continua a mãe de Blake. “Em nossa pequena cidade, os trabalhos são limitados – especialmente para pessoas com necessidades especiais.”
Então, a família Pyron começou a pensar nas coisas que mais interessavam ao jovem e chegou a uma ideia de negócio: raspadinhas. “Blake ama raspadinhas, então ele simplesmente apostou nisso”, diz Mary Ann.

Empreendedorismo e superação
Em maio deste ano, a ideia finalmente saiu do papel: o Blake’s Snow Shack, como é conhecido o truck de raspadinhas, foi inaugurado. Além de dono, a principal função de Blake no negócio é cuidar do atendimento ao cliente – seu ponto forte, segundo a mãe. Mesmo que conte com ajuda ao fazer as raspadinhas, o jovem é quem as entrega para os clientes, sempre com um sorriso.
 
Assim que Blake decidiu que queria abrir um truck de raspadinhas, a cidade de Sanger se mobilizou. Seu irmão criou opções de sabores divertidas, como “ataque dos tubarões” (azul) e “Hulk” (verde). Um amigo da família, de 15 anos de idade, foi contratado para ser um dos funcionários de Blake. Em maio, a cidade como um todo foi celebrar a abertura do Blake’s Snow Shack (veja as fotos no álbum do negócio).
Para a mãe de Blake, o filho conseguiu tudo isso justamente porque os conselhos recebidos assim que ele nasceu foram ignorados. “Você não nos conhece, e não conhece nosso filho. Então, não coloque uma etiqueta nele. Nós não colocamos, e ele se saiu muito bem.”
Mary Ann também espera que sua história inspire as mães de outras crianças com necessidades especiais a nunca colocar limites no que seus filhos podem fazer. “Eu quero pessoalmente desafiar essas mães a acreditarem nas suas crianças - não ligue para o que a sociedade lhe diz.”
 

quarta-feira, 6 de julho de 2016

AMAMDIR – Associação de Mães e Amigos do Movimento Direitos Iguais do RS






Para que servem as Associações de 
Pessoas com Deficiência ??

A principal arma usada por pais e familiares de pessoas com deficiência, é o conhecimento. Por isso, este público buscando, informação e conscientização, se reúnem em associações que, além de ajudar quem recebe diagnóstico, lutam por mais inclusão destas pessoas na sociedade. É nas associações que encontra espaço de acolhimento e luta por inclusão.

 
 Em fevereiro de 2015 um grupo de mães reúne-se para fundar a AMAMDIR – Associação de Mães e Amigos do Movimento Direitos Iguais do RS 

Presidido por Simone Goulart, mãe de uma linda menina com Síndrome de Down e com apoio de mães de crianças com as mais diversas deficiências, iniciou-se ali uma luta por melhorias nos direitos destas crianças no âmbito da educação, saúde, lazer e benefícios.

Nesta caminhada foram unindo ao grupo, voluntários como, assistentes sociais, fisioterapeutas, fonoaudiólogas, pessoas vinculadas ao esporte e a equoterapia, escotismo, dentre outros. 

A AMAMDIR atualmente tem uma programação que abrange lazer, palestras e bate-papos com as famílias, onde convidam especialistas que apresentam novidades sobre a inclusão de pessoas com deficiência nas mais diversas áreas. Nos encontros, pais que já participam do grupo acolhem estas famílias que receberam o diagnóstico há pouco tempo.

Graças ao empenho das famílias e dos amigos envolvidos na luta pela inclusão é que hoje já comemoramos um ano de conquistas!! 

Apesar dos avanços, ainda há uma luta muito grande para que a sociedade esteja apta a atender essas pessoas.
 Mas é para isso que existimos....para fazer valer estes direitos !

terça-feira, 5 de julho de 2016

Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência/CONADE

CONADE– CLIPPING 04.07.2016

SENADO FEDERAL
Aplicação do Estatuto da Pessoa com Deficiência é tema de seminário na quarta
A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) promove na quarta-feira (6) o seminário “Estatuto da Pessoa com Deficiência – Desafios para a concretização de direitos”, que vai debater a aplicação, no dia a dia, da Lei 13.146/2015, conhecida também como Lei Brasileira de Inclusão, sancionada há um ano. De acordo com o presidente da CDH e autor do projeto que originou o Estatuto, senador Paulo Paim (PT-RS), a lei ajuda a promover a autonomia e a cidadania de pessoas com deficiência. As inscrições para o seminário podem ser feitas no Portal do Interlegis. Detalhes na reportagem de Marcela Diniz, da Rádio Senado.
 
Lei Brasileira de Inclusão completa um ano com avanços na educação
 Publicada no dia 6 de julho de 2015, a Lei Brasileira de Inclusão (LBI), também chamada de Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146/2015), representa um grande avanço na inclusão de pessoas com deficiência na sociedade. O documento, que entrou em vigor no dia 2 de janeiro de 2016, fixa punições para atitudes discriminatórias e prevê mudanças em diversas áreas, com destaque para a educação.
 
DIREITO
Cenário MT
Proposta amplia limite de renda mensal para financiar tecnologia assistiva
Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 4752/16, das deputadas Simone Morgado (PMDB-PA) e Mara Gabrilli (PSDB-SP), que amplia de 10 para 20 salários mínimos o limite de renda mensal do tomador de empréstimo de bancos federais para financiamentos de bens e serviços de tecnologia assistiva (destinada a pessoas com deficiência)
 
 
EDUCAÇÃO
Tribuna Hoje
Mestrado em Letras da Ufal recebe primeiros alunos surdos na pós-graduação
ALAGOAS - As aulas da Pós-graduação em Letras e Linguística ( PPGLL) tem agora tradução em Linguagem Brasileira de Sinais (Libras). É que o programa recebeu os primeiros alunos surdos em um curso de mestrado na Ufal.
 
Jornal do Brasil
Pais e responsáveis recebem atenção especial em escola municipal para autistas de São João de Meriti
RIO DE JANEIRO - Referência na educação de alunos autistas no estado do Rio de Janeiro, a Escola Municipal Especial Professora Mariza Azevedo Catarino trabalha para proporcionar sempre um ensino que colabore com o aprendizado e com o desenvolvimento dos 219 alunos com o TEA – Transtorno do Espectro do Autismo matriculados na unidade. Para alcançar esse objetivo, além dos profissionais especializados que atuam na escola, e da ótima estrutura física oferecida pela unidade, que teve um novo prédio construído pela Prefeitura de São João de Meriti, a participação dos pais é fundamental nesse processo e faz parte do dia a dia escolar dos alunos.
 
CULTURA, TURSIMO E LAZER
Uol
Fotógrafo recria cenas clássicas com pessoas com deficiência
O fotógrafo Sean Goldthorpe, que mora na Califórnia (Estados Unidos), criou um projeto para quebrar padrões e empoderar: ele recriou grandes cenas do cinema com pessoas que têm alguma deficiência. A série intitulada 11 Milion Reasons (11 Milhões de Razões, em tradução livre) reúne pessoas com deficiências auditivas, visuais e motoras. A ideia do projeto fotográfico é mudar a percepção sobre a dança e as deficiências por meio de cenas positivas, ou seja: mostrar que qualquer pessoa, mesmo com alguma deficiência, pode dançar se quiser.

Diário Catarinense
Projeto Inclusão Sem Fronteiras, em Imbituba, terá audiolivros e obras em braille na praia
SANTA CATARINA - A bibliotecária Gláucia Maindra da Silva, gerente de Fomento e Incentivo à Cultura, da Secretaria de Turismo, Esporte e Cultura de Imbituba, participou do evento da Rede Nacional de Leitura Inclusiva, projeto da Fundação Dorina Nowill promovido pela Fundação Dorina Nowill. Uma possibilidade de pensar ações, diz ela. Uma dessas práticas acontecerá na quarta-feira, quando será desenvolvido o projeto Inclusão sem Fronteiras. A proposta é nacional e promete mobilização nas redes sociais e imprensa chamando a atenção para práticas inclusivas em diferentes regiões do país. A data foi escolhida em virtude da lei nº. 13.146, de 6 de julho de 2015, que institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência).
 
O Globo
Cadeirantes ganham academia adaptada em dois pontos da Barra
RIO DE JANEIRO - Certo dia um cadeirante resolve sair de casa para fazer exercícios ao ar livre, em Ipanema. Encontra uma estação de treinamento na praia e tenta fazer sua ginástica, mas tem dificuldade porque os aparelhos não são feitos para ele. Neste mesmo dia, o engenheiro de produção Marcus Moraes vai à praia e vê o esforço e a dificuldade que o cadeirante tem para fazer a sua série. É aí que ele tem a ideia de construir uma estação de treinamento adaptada para cadeirantes e pessoas com dificuldade motora. Como Moraes é proprietário da Mude, empresa responsável pelas miniacademias da orla carioca, o principal foco foi conhecer as dificuldades dos cadeirantes e fazer as adaptações. Na semana passada, após oito meses de pesquisa e desenvolvimento, a Mude concluiu a instalação de dez estações públicas adaptadas no Rio, sendo duas na Barra: uma na Avenida Abelardo Bueno e outra na Praça do Ó.
 
Bem Paraná
Estudantes cegos expandem contato com o mundo através de origamis
PARANÁ - Crianças e adolescentes alunos do Instituto Paranaense de Cegos (IPC) fizeram, ontem, uma visita à exposição “Origamis Complexos”, da ONG Dobrando Alegrias, no Espaço Cultural do MAM - Muito Além da Medicina. A visita faz parte das atividades desenvolvidas pelos alunos do IPC em parceria com o Dobrando Alegrias e o Projeto Ver com as Mãos, que também inclui o aprendizado de dobraduras. Batizado de “Origami Acessível”, esse projeto reúne alunos cegos e voluntários uma vez por mês na sede do IPC.
 
Diário Catarinense
Cegos vão ter a oportunidade de conhecer múltiplas obras e expressões culturais
SANTA CATARINA - A Associação Catarinense para Integração do Cego e o Museu de Arte de Santa Catarina celebram na próxima semana os 10 anos de uma bela parceria. Em forma de sarau, os educandos da Acic participarão de apresentações de dança, música e declamação de poesia. Realizado a cada semestre, o evento oferece aos cegos a oportunidade de conhecer múltiplas obras e expressões culturais. Um show.
 
Brasil ao Minuto
Um debate sobre intolerância com a participação dos colunistas da Folha de S.Paulo Jairo Marques e Alexandre Vidal Porto levou às lágrimas parte da plateia lotada da Casa Folha na manhã desta quinta (30) em Paraty (30), onde acontece a Flip (Festa Literária Internacional de Paraty). Marques, que acaba de lançar o livro "Malacabado - A História de Um Jornalista sobre Rodas" (Três Estrelas), em que narra algumas das suas lutas como um cadeirante, foi o primeiro a chorar.
 
Hoje em Dia
Ações inclusivas aproximam deficientes visuais da cultura em Belo Horizonte
MINAS GERAIS - Em cena, uma atriz está sentada no sofá. Outros quatro atores em pé tentam forçá-la a sair do local. Empurram-na para fora do recinto. Esse jogo de corpos e a intensidade da cena o funcionário público Carlito Homem de Sá só conseguiu apreender porque a peça tinha audiodes-crição. Deficiente visual, o rapaz de 30 anos é ávido por teatro, mas nem sempre consegue ter a compreensão total da obra. A audiodescrição geralmente é oferecida em sessões específicas. Na entrada o espectador recebe um kit com fone de ouvido pelo qual recebe informações sobre expressões usadas pelos artistas durante a encenação ou quando alguém sai do palco, por exemplo.
 
Olharconceito
Chapadense deficiente visual que toca 8 instrumentos se apresenta no Encontro com Fátima Bernardes
O chapadense Luiz Guilherme Pinheiro, de 13 anos, não deixou que sua deficiência visual, que foi descoberta quando ainda era bebê, o impedisse de crescer. Nesta sexta-feira (1), ele mostrou seu talento para tocar sanfona no programa ‘Encontro com Fátima Bernardes’, da Rede Globo. No total, ele toca oito instrumentos.
 
 
TRABALHO E EMPREGO
A Crítica
Manaus ganha Centro de Integração Social do Autista na zona Centro-Oeste
AMAZONAS - Neste sábado (2), foi inaugurado o Centro de Integração Social do Autista, no bairro Alvorada, zona Centro-Oeste da capital. O espaço foi idealizado pelo grupo Rotary Club de Manaus e tem a missão de desenvolver e capacitar a criança autista, preparando-a para o futuro profissional.
 
ESPORTE
Maxpress
Seleção masculina de vôlei de surdos estreia com vitória nos Jogos Pan-Americanos
SÃO PAULO - A seleção brasileira masculina de vôlei de surdos estreou com vitória nos Jogos Pan-Americanos. Nesta quinta-feira (30), o Brasil enfrentou o Canadá e ganhou por 3 sets a 0, parciais de 25/06, 25/15 e 25/12.
 
Mais PB
Jogos Paralímpicos são abertos em João Pessoa
PARAÍBA -  Os Jogos Paralímpicos da Paraíba 2016 foram oficialmente abertos nessa sexta-feira (1º), na Vila Olímpica Parahyba, em João Pessoa. A solenidade contou com o desfile das equipes participantes, uma apresentação de quadrilha em cadeira de rodas com integrantes da Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência  (Funad) e a execução do hino nacional brasileiro por um grupo de chorinho da Capital.
 
SAÚDE
Governo do Estado do Ceará
CEO em Cascavel é o primeiro serviço odontológico acreditado pela ONA
O Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) em Cascavel, da rede pública do Governo do Estado do Ceará, é o primeiro serviço de odontologia certificado pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). Após a visita de certificação, nos dias 6 e 7 de junho deste ano, a equipe de avaliadores do Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde (IBES) recomendou à ONA que o serviço seja reconhecido como Acreditado, nível de certificação atribuído a instituições que atendem aos critérios de segurança do paciente em todas as áreas de atividade, incluindo aspectos estruturais e assistenciais.
 
Canal Rio Claro
Rio Claro oferece programa de saúde bucal para bebês
SÃO PAULO - O Programa de Saúde Bucal de Rio Claro mantém o serviço “Bebê Sorriso” no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) da Rua 4 nº 2031, Ruas 18 e 10, no centro.  São atendidas crianças de 0 a 3 anos e 11 meses em serviços de restauração, cáries e prevenções. O Centro de Especialidades Odontológicas atende, em média, 90 crianças por mês.
 
Uol
Paracetamol na gravidez aumenta riscos de autismo e hiperatividade, diz estudo
Pesquisadores espanhóis do Instituto de Salud Global realizaram um estudo que apontou que o paracetamol durante a gravidez pode estar associado a casos de autismo e Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). A pesquisa foi publicada na sexta-feira (1º) pela revista International Journal of Epidemiology.
 
SOBRE O CLIPPING: Esta é uma seleção de notícias recentes sobre o tema “pessoas com deficiência” publicadas em meios de comunicação e selecionadas pela Coordenação-Geral do Conade. As notícias não são de autoria do Conade.